EFEBerlim

A Alemanha retomou nesta segunda-feira a atividade escolar, de forma quase experimental, com a reabertura das escolas em um dos estados federados, em meio ao debate sobre o uso obrigatório de máscaras no interior das instituições de ensino.

As aulas começaram, em calendário escalonado definido pelas autoridades locais, no 'Länder' de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, no noroeste do território alemão, que tem 1,8 milhões de habitantes e, aproximadamente, 153 mil estudantes.

O retorno das atividades de ensino acontece com normas definidas de distanciamento social e medidas de higiene, para evitar a propagação do novo coronavírus, que provoca a Covid-19, embora não haja regulamentação sobre o uso de máscaras.

A ministra da Educação de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, Bettina Martin, anunciou que, em reunião marcada para amanhã com a cúpula do governo regional, irá propor a obrigatoriedade da proteção facial por alunos e funcionários das escolas, segundo veiculou a rádio pública local "RBB".

Outros estados federados, como Berlim, em que o regresso às aulas será na próxima semana, impôs o uso de máscara como regra nas áreas comuns das instituições de ensino, pátios e corredores, mas não no interior das salas.

"A obrigatoriedade da máscara parece uma medida razoável, mas naturalmente deve fazer parte de um conceito geral", disse a porta-voz adjunta do governo da Alemanha Ulrike Demmer, que lembrou que os estados federados têm autonomia no país.

A ministra da Educação alemã, Anja Karliczek, defendeu no fim de semana que a obrigação seja válida para todo o país, embora a adoção da regra acabe sendo de competência dos 'Länder'.

Depois dos alunos de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, voltarão às escolas na quinta-feira os de Hamburgo (norte), enquanto na próxima segunda-feira será a vez dos de Berlim, Brandemburgo, Renânia do Norte-Westfália e Schleswig-Holstein.

Os demais 16 estados federados reiniciarão as aulas ao longo de agosto, quando na Baviera e Baden-Württemberg, no sul, será em 8 e 16 de setembro, respectivamente.

Em todos os 'Länder', as aulas foram suspensas por causa da pandemia da Covid-19, com retomada presencial depois de alguns meses, com grupos de alunos para algumas atividades específicas. A partir de hoje, no entanto, as escolas reabrem de forma integral e com capacidade máxima.

A primeira-ministra de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, Manuela Schwesig, fez um apelo, na véspera da retomada do funcionamento das instituições de ensino, para que as pessoas cumpram totalmente as regras de prevenção.

"Para não transportar o vírus às escolas através dos alunos ou professores. A escola é segura, sobretudo, quando os contágios fora dela são escassos ou nulos", disse a chefe de governo regional.

No primeiro estado a receber aulas, região essencialmente rural, a incidência do novo coronavírus foi escassa, com 877 dos 210.402 casos registrados em toda a Alemanha.

Em Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, além disso, morreram 20 pessoas em decorrência da Covid-19, enquanto em todo o país foram 9.148 vítimas da doença.

A reabertura escolar, no entanto, acontece em um momento de preocupação pelo aumento recente no número de casos de infecção, que tem chegado a cerca de 900 por dia, contra entre 300 e 350 durante o mês de junho.