EFEWashington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira que está sendo alvo de uma perseguição política, após a Suprema Corte do país ter ordenado que o mandatário entregue a declaração do imposto de renda a um promotor de Manhattan, em Nova York.

"A Suprema Corte envia o caso de volta à instância inferior, com argumentos para continuar. Isso tudo é uma perseguição política. Ganhei a caça às bruxas de Mueller, e outras, e agora tenho que continuar lutando em uma Nova York politicamente corrupta. Não é justo com esta presidência", reclamou Trump no Twitter.

O mandatário se referia à investigação comandada pelo procurador especial Robert Mueller sobre a suposta interferência da Rússia nas eleições presidenciais de 2016, vencidas por Trump. A investigação foi encerrada no ano passado com a cunclusão de que não havia provas sobre interferências.

"Os tribunais concederam "ampla deferência" no passado. Mas não para mim. Tivemos um governo anterior totalmente corrupto, incluindo um presidente e um vice-presidente que espionaram a minha campanha, foram pegos e nada aconteceu com eles. Esse crime estava ocorrendo antes mesmo da minha eleição, todo mundo sabe disso, e ainda assim todos estão paralisados pelo medo", exclamou o presidente.

Trump acrescentou que não houve nenhuma resposta judicial a respeito, nem por parte dos republicanos no Senado, nem do FBI, nem de ninguém.

"Grandes horrores mostram os relatórios de Comey e McCabe, culpados como o inferno, e não acontece nada. Pegam Obama e Biden, nada. Uma farsa de Mueller, de US$ 45 milhões durante três anos, fracassou, investigaram tudo", argumentou.

Andrew McCabe era o braço direito do ex-diretor do FBI James Comey, que foi demitido de surpresa por Trump em maio de 2017 e com quem liderou a investigação da suposta interferência russa nas eleições de 2016 e possíveis ligações entre os membros da campanha do atual presidente e o governo russo.

O presidente lamentou que a Suprema Corte tenha enviado o caso de volta ao promotor de Nova York e garantiu que isso nunca teria acontecido com outro presidente.

O advogado do presidente, Jay Sekulow, disse em comunicado que estava satisfeito com as decisões de hoje: "A Suprema Corte bloqueou temporariamente tanto o Congresso quanto os promotores de Nova York de obter as declarações fiscais do presidente.

"Vamos agora levantar questões constitucionais e legais adicionais nos tribunais inferiores", comentou.

O Supremo ordenou nesta quinta-feira que Trump entregue as declarações do imposto de renda a um promotor de Nova York que o investiga, mas decidiu que a Câmara dos Representantes, controlada pela oposição democrata, ainda não pode ter acesso a esses documentos.