EFELondres

A Apple prevê lançar seu serviço de conteúdos audiovisuais em "streaming" nos próximos dois meses, segundo informou nesta terça-feira o jornal britânico "Financial Times" (FT).

A Apple comprometeu US$ 6 bilhões em investimento para a criação de séries e filmes originais que serão oferecidos através desse serviço, chamado de Apple TV+.

O "Financial Times" indicou que a Apple prevê se antecipar ao lançamento da plataforma audiovisual preparada pela Disney, que estará disponível nos Estados Unidos a partir de 12 de novembro.

A Apple apresentou em março os planos para a criação de um serviço de conteúdos que competirá, além disso, com operadoras já assentadas como Netflix, Hulu e Amazon, mas até agora ofereceu poucos detalhes adicionais.

A empresa americana prepara sua entrada no mundo audiovisual pelo menos desde 2017, quando contratou dois conhecidos executivos da Sony Pictures Television, Jamie Erlicht e Zack Van Amburg.

Segundo o FT, a companhia investiu "centenas de milhões de dólares" em uma só de suas séries, "The Morning Show", que contará no elenco com Jennifer Aniston, Reese Witherspoon e Steve Carell.

A Apple TV+ incluirá também em sua grade de programação o drama de ficção científica "See", que terá como protagonista Jason Momoa. EFE

gx/ff