EFEBuenos Aires

O número de mortes por coronavírus na Argentina subiu para 17 nesta sexta-feira, com um total de 690 casos confirmados ao final da primeira semana de isolamento social preventivo obrigatório no país, segundo informações das autoridades sde saúde.

Nas últimas horas, foram registradas cinco novas mortes, de quatro homens e uma mulher, todos entre 59 e 81 anos, e 101 novos casos de infecção, de acordo com o relatório oficial divulgado hoje à noite pelo Ministério da Saúde.

Um dos mortos é um homem de 70 anos de idade que foi repatriado na última terça-feira de Miami, nos Estados Unidos. Ele sofreu uma descompensação na noite desta quinta-feira enquanto cumpria quarentena em um hotel e morreu pouco tempo depois. O secretário da Saúde da cidade de Buenos Aires, Fernán Quirós, confirmou que o teste deu positivo para a COVID-19.

A maioria dos 101 novos casos de coronavírus foram registrados na capital, com 43, e em outras cidades da província de Buenos Aires, com 36.

As autoridades sanitárias também declararam que das 690 pessoas infectadas na Argentina, 56% correspondem a casos importados, 24,2% a contatos próximos de casos confirmados, e o restante está sob investigação epidemiológica.

A circulação comunitária é detectada na cidade de Buenos Aires e na área urbana populosa que a rodeia e na província de Chaco, no nordeste do país, além de redes de transmissão em conglomerados em várias regiões argentinas. EFE

cca/dr