EFESalé (Marrocos)

Os três jovens marroquinos que assassinaram e decapitaram duas turistas escandinavas em dezembro do ano passado em uma montanha dos Atlas foram condenados à morte pelo tribunal que julga os fatos.

O Tribunal de Apelação de Salé (cidade vizinha de Rabat), encarregado de crimes de terrorismo, condenou assim à pena capital Abdessamad el Joud (vendedor ambulante de 25 anos), Youness Ouziad (carpinteiro, de 27), e Rachid Afati (carpinteiro, de 33), que pouco antes de cometer sua ação tinham jurado lealdade ao denominado Estado Islâmico (EI).

Os outros 21 julgados por cumplicidade nos fatos em distintos graus foram condenados a penas de entre cinco anos e prisão perpétua.