EFECabul

Pelo menos 10 pessoas, incluindo um atacante, morreram e outras 18 ficaram feridas, nesta sexta-feira, por conta de um atentado suicida, perto de uma grande esplanada onde se concentravam milhares de membros da minoria xiita Hazara, no oeste de Cabul (Afeganistão).

O porta-voz do Ministério da Saúde do Afeganistão, Wahidullah Majroh disse à Agência Efe que até o momento, quatro hospitais da capital receberam os corpos de nove pessoas e 18 feridos.

O ataque aconteceu pouco depois das 11h (horário local, 3h30 de Brasília), nas proximidades do local onde membros da Hazara lembravam o aniversário da morte do líder dessa comunidade xiita, Abdul Ali Mazari.

"O suicida queria atacar a concentração, mas foi identificado pela polícia a cerca de 80 metros do local, e então detonou seu colete", explicou à Efe, Basir Mujahid, porta-voz da polícia de Cabul.

Na concentração havia milhares de pessoas, incluindo representantes políticos, membros do Parlamento e do Governo para comemorar o assassinato de Mazari, fundador do partido hazara Hezbe Wahdat, em 1995.

Até o momento nenhum grupo reivindicou o ataque.

Os membros desta minoria xiita são alvos frequentes de ataques de grupos insurgentes como os talibãs e o Estado Islâmico no Afeganistão.

Em julho de 2016, um ataque suicida do EI contra um protesto de hazaras em Cabul causou a morte de mais de 80 pessoas e feriu outras 230.

Além disso, o ataque de hoje se soma a outros atentados na capital afegã este ano, o maior foi no final de janeiro, feito pelos talibãs com uma ambulância bomba que explodiu no meio da rua, em um bairro no centro de Cabul, matando mais de 100 pessoas.

Após esse ataque, as autoridades da capital afegã revisaram todo o plano de segurança da cidade e o substituíram por um novo esquema para evitar grandes atentados.