EFESydney (Austrália)

As autoridades da Austrália prorrogaram nesta terça-feira o confinamento de sua capital, Canberra, até do dia 15 de outubro para frear a transmissão de covid-19, mantendo simultaneamente as ordens de permanência em casa em Sydney e Melbourne, onde reside quase metade da população do país.

"Ainda estamos registrando casos em que a origem da transmissão é desconhecida", disse o chefe do Território da capital australiana, Andrew Barr, em entrevista coletiva, justificando a medida.

A prorrogação do confinamento, que começou em meados de agosto na sua população de 425 mil habitantes, surge à medida que esta jurisdição registrou hoje 22 novos casos e enquanto esta semana espera atingir 50% de vacinação entre a população com mais de 12 anos de idade.

A Austrália, onde as diferentes regiões debatem entre a estratégia de supressão do vírus e a reabertura progressiva com altas taxas de vacinação, pretende iniciar a fase de desconfinamento assim que atingir 70% da população vacinada com a dosagem completa.

O país também mantém ordens de isolamento em Sydney, desde 26 de junho, e em Melbourne, desde o início de agosto, entre outras áreas rurais.

Em Nova Gales do Sul, cuja capital é Sydney, 1.127 diagnósticos positivos e duas mortes foram registradas hoje, enquanto no estado vizinho de Victoria, cuja capital é Melbourne, foram registrados 445 casos e dois óbitos.

Desde o início da pandemia, a Austrália acumulou quase 77 mil casos e mais de 1,1 mil mortes por covid-19 e administrou a dosagem completa da vacina a mais de 40% de sua população.