EFEBerlim

O primeiro-ministro do estado federado da Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet, anunciou nesta segunda-feira a prorrogação por mais uma semana das medidas restritivas para a cidade de Gutersloh, no oeste da Alemanha.

Gutersloh é o único distrito municipal alemão em que existem atualmente mais de 50 novas infecções semanais do novo coronavírus para cada 100 mil habitantes, devido a um surto em uma fábrica de carne onde foram registradas cerca de 1,5 casos.

De acordo com os dados mais recentes do Instituto Robert Koch, na última semana em Gutersloh, foram registradas 112,6 infecções por 100 mil habitantes.

As restrições para Gutersloh foram inicialmente estendidas à cidade vizinha de Warendorf, onde moravam alguns trabalhadores da empresa, mas as medidas não serão prolongadas para essa cidade.

"A situação em Warendorf é claramente limitada aos trabalhadores da empresa Tonnies", disse Laschet.

"Continuaremos tomando a liberdade de não reagir precipitadamente. Qualquer pessoa que reduza os direitos fundamentais deve ter uma razão para fazê-lo. As medidas para Gutersloh são legítimas e os tribunais viram isso, mas deixarão de existir quando tivermos certeza de que não há perigo para a população", afirmou o primeiro-ministro.

A decisão de estender as restrições para Gutersloh e suspendê-las para Warendorf foi tomada depois de serem conhecidos os resultados de 40 mil testes e após consultar os especialistas.

Armin Laschet também anunciou que o teste de coronavírus foi organizado para todos os funcionários da empresa Tonnies.

Na Alemanha foram registrados 195.152 casos e 9.131 mortes por Covid-19. Ao todo, 178.051 superaram a doença.

Atualmente, 338 pacientes com coronavírus estão sendo atendidos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em hospitais alemães, nos quais existem 11.831 leitos disponíveis, o que representa 37% das capacidades.

Em todo o país, 3.479 novas infecções foram registradas na última semana, 4,2 por 100 mil habitantes.