EFEBerlim

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Anthony Blinken, e a ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock, pediram nesta sexta-feira que a Rússia permita que o trigo estocado em portos da Ucrânia seja liberado e acusaram o Kremlin de usar uma crise de abastecimento alimentar como arma de guerra.

"Estamos certos de que não vamos virar as costas aos muitos países do mundo que estão ameaçados pela fome como resultado da guerra", disse Baerbock, em pronunciamento conjunto com Blinken em Berlim, onde participam de uma conferência internacional sobre o impacto da guerra no fornecimento de alimentos.

Blinken afirmou que será buscada uma solução diplomática para a questão alimentar, mas que a pressão sobre a Rússia continuará.

Tanto ele como Baerbock apontaram que as sanções contra Moscou não estão relacionadas a alimentos, portanto a Rússia não tem motivos para reter seu próprio trigo, do qual dependem muitos países importadores.

"Muitos países abriram exceções para alimentos, inclusive na área de seguros de transporte. Portanto, a Rússia não tem motivos para reter seu trigo", enfatizou Blinken.

Baerbock, por sua vez, disse que a Rússia está se comportando "cinicamente" sobre a questão alimentar e está espalhando informações falsas sobre essa área a fim de responsabilizar o Ocidente pela crise alimentar.

"A Rússia está travando uma guerra com armas, com trigo e também com informações falsas com as quais temos que lidar", declarou. EFE