EFECairo

Pelo menos 38 pessoas, entre elas cinco menores de idade e dez mulheres, morreram e outras 60 ficaram feridas em bombardeios na noite de quinta-feira contra uma população da província de Idlib, no nordeste da Síria, informou hoje o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Entre os mortos há um membro da Defesa Civil síria, corpo que realiza trabalhos de resgate nas zonas fora do controle das autoridades de Damasco, detalhou a ONG.

As operações de resgate continuam neste momento, então o número de mortes pode aumentar nas próximas horas, conforme mais corpos são encontrados sob os escombros dos edifícios bombardeados e porque há feridos em estado grave, segundo o Observatório.

A fonte disse que aviões de guerra que se acredita serem russos atingiram ontem à noite vários pontos da cidade de Zardana, ao nordeste da cidade de Idlib, onde causaram consideráveis danos materiais e este novo "massacre".

Além disso, destacou que Zardana foi palco nos últimos dias de confrontos entre duas facções armadas, entre elas a ex-filial síria da Al Qaeda, e que alguns civis poderiam ter falecido por causa da violência.

Na última quarta-feira, duas pessoas morreram em bombardeios de aviões não identificados contra esta mesma província. EFE

fc/phg