EFEParis

O incêndio que na segunda-feira devastou a catedral de Notre-Dame, em Paris, foi completamente extinto, embora possa haver focos residuais que devem ser monitorados, disse hoje o porta-voz do Corpo de Bombeiros, Gabriel Plus.

"O fogo foi extinto em sua totalidade", afirmou Plus, em entrevista aos jornalistas, antes de afirmar que "pode haver focos residuais" e que 100 bombeiros continuarão trabalhando o dia todo.

Sua missão também será extrair, com a ajuda de especialistas, algumas obras de arte que não puderam ser removidas, acrescentou.

Os bombeiros calculam que o fogo se propagou por cerca de 1 mil m² do telhado, embora o objetivo estabelecido, que era preservar as torres Norte e Sul, foi alcançado.

O ministro da Cultura, Franck Riester, descobriu que o incêndio destruiu dois terços do teto da catedral e, em particular, a agulha em cuja reconstrução estava sendo trabalhada e que aparece como o local onde provavelmente começaram as chamas.

"Ainda levaremos algumas horas para saber o verdadeiro estrago na estrutura", disse Riester em entrevista à rádio "France Info".

O ministro contou que o incêndio "a priori não é criminoso, e parece que o fogo começou no local onde estão os andaimes" colocados para a restauração do teto.