EFECidade do México

Bonnie foi rebaixado nesta quarta-feira para um furacão de categoria 2 na escala Saffir-Simpson, mas chuvas muito fortes devem continuar em grande parte do país, informou o Serviço Meteorológico Nacional (SMN) do México.

Em seu relatório mais recente, o SMN colocou Bonnie a 570 quilômetros ao sul-sudoeste de Cabo Corrientes (Jalisco) e 790 quilômetros ao sul-sudeste de Cabo San Lucas (Baixa Califórnia do Sul), movendo-se para oeste-noroeste a 22 km/h.

O fenômeno, que deixou dois mortos em El Salvador, se move paralelamente à costa mexicana do Pacífico, gerando ventos máximos sustentados de 155 km/h e rajadas de 195 km/h.

A previsão indica que Bonnie causará chuvas pontuais muito fortes, de 50 a 75 milímetros, nas regiões de Chiapas, Chihuahua, Oaxaca, Tabasco e Veracruz, enquanto que nas áreas de Colima, Durango, Estado do México, Guerrero, Jalisco, Michoacán, Nayarit, Puebla, Sinaloa e Sonora haverá fortes chuvas.

Da mesma forma, o SMN prevê chuvas isoladas em Aguascalientes, Baixa Califórnia do Sul, Coahuila, Nuevo León, San Luis Potosí e Tamaulipas.

A agência advertiu que as chuvas serão acompanhadas de choques elétricos e fortes rajadas de vento, que poderão gerar deslizamentos de terra, aumento do nível de rios e córregos, transbordamentos e inundações em áreas baixas.

Da mesma forma, o furacão Bonnie causará rajadas de vento de 50 a 60 km/h em Baixa Califórnia, Baixa Califórnia do Sul, Campeche, Chihuahua, Coahuila, Durango, Nuevo León, Oaxaca, Querétaro, San Luis Potosí, Sonora, Tamaulipas e Zacatecas, bem como ondas de um a dois metros de altura nas costas de Colima e Jalisco.

Por isso, pediu que a população atenda aos avisos do SNM, da Comissão Nacional de Águas, e siga as instruções das autoridades estatais, municipais e da Proteção Civil.

Bonnie vem depois de Celia e Blas, ambos não afetados, e do furacão Agatha, o primeiro ciclone da temporada 2022 do Pacífico, que atingiu a costa do estado de Oaxaca em 30 de maio como um furacão de categoria 2, um dos mais pobres do país, onde deixou nove mortos e vários desaparecidos.

Em meados de maio, autoridades mexicanas informaram que preveem a formação de até 40 ciclones nomeados até 2022, que descreveram como uma "estação ativa", e previram que do número total de ciclones tropicais gerados, tanto no Atlântico quanto no Pacífico, pelo menos cinco atingiram o país. EFE