EFEBerlín

O Alto Representante da União Europeia para Política Exterior e Negócios, Josep Borrell, anunciou nesta sexta-feira que o bloco comunitário destinará outros 500 milhões de euros (R$ 2,67 bilhões) para apoiar o exército da Ucrânia.

"Serão cerca de 2 bilhões de euros no total", disse o diplomata espanhol em Weissenhaus, no norte da Alemanha, onde acompanha de reunião entre ministros das Relações Exteriores do G7.

Borrell garantiu que a "receita" na Ucrânia segue a mesma, com apoio para o governo do país, incluindo suporte militar, além de mais pressão contra a Rússia, através de sanções e isolamento internacional.

O líder da diplomacia europeia excluiu a possibilidade de que os 500 milhões de euros sejam empregados para fornecer aviões de combate, depois de solicitação feita pelo presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Segundo o espanhol, o montante será utilizado para garantir armamento pesado ara as forças de Kiev.

"Neste momento, estamos fornecendo veículos blindados, tanques, artilharia pesada, munição e coisas que são necessárias neste tipo de guerra", detalhou Borrell.

O Alto Representante da União Europeia garantiu, ao ser questionado sobre um possível embargo do petróleo russo, que o assunto será tratado pelos ministros das Relações Exteriores do bloco em reunião que ocorrerá na próxima segunda-feira.

Borrell ainda apontou que é preciso "compreender as circunstâncias específicas" de cada uma das nações que integram o bloco, mas destacou que é preciso romper com a dependência dos combustíveis fósseis da Rússia.

"Precisamos deste acordo, e o teremos", afirmou. EFE