EFEAtenas

Seis universidades gregas e o campo de refugiados de Moria receberam nesta sexta-feira envelopes suspeitos com pós irritantes, depois que as autoridades se colocaram em alerta ontem pelo envio de outras 12 cartas similares procedentes da Índia a mais de uma dezena de campus de todo o país.

As últimas a recebê-los foram as universidades públicas de Janina, Retimno, Patras, Corinto, Lâmia e uma privada de Salonica, e os funcionários, já alertados, os entregaram às autoridades sem abri-los, segundo informou a imprensa local.

Além disso, outro envelope suspeito foi recebido hoje no centro de recepção de Moria, na ilha de Lesbos - onde vivem cerca de 5.000 refugiados -, embora nesta ocasião tenha sido enviado de Omã, e não da Índia, como em todos os demais casos.

O conteúdo dos primeiros 12 envelopes, enviados a universidades de Atenas, Corfu, Lesbos, Cefalônia, Vólos, Arta, Esparta e Creta, foi analisado em um laboratório estatal, que concluiu que se tratava de pós irritantes usados na produção de adesivos e tinta.

O primeiro envelope chegou na tarde de quarta-feira à Universidade do Egeu, na ilha de Lesbos, e, pouco depois de abri-lo, os seis funcionários da universidade que estavam presentes e um oficial da polícia ao qual entregaram o envelope apresentaram sintomas de irritação do sistema respiratório e foram levados ao hospital.

Em Corfu o envelope não chegou à universidade, pois foi achado no escritório dos correios local, que as autoridades evacuaram imediatamente, transferindo a hospitais por precaução todos aqueles que estavam presentes nesse momento.

No total, mais de uma dúzia de pessoas, entre funcionários das universidades e dos correios, receberam atendimento médico, mas nenhum sofreu problemas de saúde.

Alguns dos envelopes continham também panfletos com frases do Corão e propaganda a favor do Islã escritas em inglês.