EFEWashington

A Casa Branca defendeu nesta sexta-feira que fornecer leite em pó a bebês de imigrantes indocumentados detidos na fronteira é o "moralmente correto", após ter recebido críticas de republicanos por fazer a doação em tempos de escassez desse produto.

"Acreditamos que fornecer fórmula infantil para bebês que cruzaram a fronteira com suas famílias é a coisa moralmente correta a se fazer", disse a porta-voz do governo dos Estados Unidos, Jen Psaki, em sua coletiva de imprensa diária.

Além disso, assegurou que a lei estabelece desde 1997 que o Escritório de Aduanas e Proteção Fronteiriça (CBP, na sigla em inglês) deve entregar “alimentos adequados” às pessoas sob sua custódia, incluindo leite em pó para bebês menores de um ano de idade.

"Está na lei há mais de um quarto de século, e todos os governos a cumpriram. Mas, além disso, acreditamos que moralmente é o que deve ser feito", reiterou a porta-voz do presidente Joe Biden.

Nas últimas semanas, encontrar leite em pó para bebês tem sido um desafio para pais em diferentes estados do país, em uma questão que se tornou uma queda de braço entre republicanos e democratas.

A escassez foi causada por problemas de abastecimento global causados ??pela pandemia de covid-19 e por dificuldades na fábrica que a Abbott, principal fabricante de fórmula infantil dos EUA, tem na cidade de Sturgis, no Michigan.

O governador do Texas, o republicano Greg Abbott, criticou em comunicado que o governo Biden forneça leite em pó para imigrantes na fronteira enquanto os americanos encontram "prateleiras vazias".

"Nossas crianças merecem um presidente que coloque suas necessidades como prioridade máxima", disse o governador, conhecido por suas posições anti-imigração.

Biden conversou nesta quinta-feira com alguns dos principais fabricantes nacionais de leite em pó para bebês, aos quais pressionou para aumentar sua produção, e anunciou que vai importar maiores quantidades desse produto devido à escassez sem precedentes no país. EFE