EFEWashington

A Casa Branca afirmou nesta sexta-feira que continua sem notar "sinais" de que a Rússia esteja no processo de reduzir as tensões em torno da Ucrânia, motivo pelo qual insistiu que a diplomacia só pode ocorrer no contexto de uma desescalada.

A declaração foi feita por uma das porta-vozes da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, ao falar com a imprensa dentro do avião presidencial quando o presidente dos EUA, Joe Biden, viajou para a cidade de Pittsburgh, na Pensilvânia, nesta sexta-feira.

"Temos sido muito claros em querer que a diplomacia funcione, pois a diplomacia é a única forma razoável de resolver a crise na Ucrânia", disse Jean-Pierre.

A porta-voz insistiu que a diplomacia só pode funcionar no contexto da desescalada e recordou que ainda há 100.000 militares russos na fronteira ucraniana, alguns deles na vizinha Belarus.

"Não vimos sinais tangíveis de que os russos estejam em processo de desescalada e isso continua sendo uma decisão do presidente russo, Vladimir Putin", argumentou.

Jean-Pierre lembrou que na quarta-feira passada EUA e Otan responderam formalmente às garantias de segurança da Rússia com ideias "eficazes" e "construtivas" destinadas a abordar as preocupações de Washington e dos seus aliados sobre a situação.

As tensões entre Rússia e EUA foram agravadas pela mobilização de 100.000 militares russos na fronteira ucraniana, gerando receios de um possível ataque ao território ucraniano, que Moscou nega, mas Washington considera "iminente".

A Ucrânia pediu calma na sexta-feira e assegurou que a situação é comparável à escalada militar realizada por Moscou em abril de 2021. EFE