EFELima

O presidente eleito do Peru, Pedro Castillo, entrou nesta quarta-feira no Palácio do Governo pela primeira vez para se reunir com o atual chefe de governo interino, Francisco Sagasti, e iniciar a transição de poder pensando na cerimônia de posse marcada, marcada para daqui a uma semana, quando também será comemorado o bicentenário da independência do país.

Depois de ter esperado pacientemente durante um mês e meio por todos os recursos apresentados pela candidata derrotada no segundo turno das eleições, Keiko Fujimori, Castillo e sua equipe têm pouco tempo para organizar a passagem de bastão.

O presidente eleito chegou à com Sagasti sem ainda revelar os nomes dos ministros que comporão seu primeiro gabinete, um segredo bem guardado e o principal tema de debate nos dias que antecedem a posse.

Sem tirar seu característico e já simbólico chapéu Chotano, um elemento tradicional dos camponeses da região de Cajamarca, o professor rural foi recebido no estacionamento do Palácio do Governo por Sagasti, que lhe mostrou algumas das instalações do edifício antes da reunião.

De acordo com postagem da Presidência nas redes sociais, além do processo de transição, Castillo e Sagasti discutiram várias questões de interesse nacional. Entretanto, a mensagem não dá detalhes.

A reunião, que durou mais de duas horas, também contou com a presença da primeira-ministra, Violeta Bermúdez, e da vice-presidenta-eleita, Dina Boluarte, que foi designada por Castillo como chefe de sua equipe para liderar a transferência de portfólios. Após o encontro, o futuro presidente não falou com a imprensa.

PRIMERA MINISTRA PEDE TRANQUILIDADE.

Na entrevista coletiva semanal após o Conselho de Ministros, Bermúdez reconheceu que o melhor teria sido ter mais tempo para o processo de transição, mas garantiu que a população pode manter a calma.

"Quero assegurar-lhes que o aparato público do Poder Executivo é muito sólido. Temos um grupo muito importante de funcionários públicos que administram o Estado. Não deve haver nenhuma preocupação porque os serviços não vão parar", prometeu.

Com relação ao processo de vacinação contra a Covid-19, a presidente do Conselho de Ministros afirmou que a administração das doses é garantida até o final deste ano. "Os centros de vacinação foram criados e as equipes de vacinação já foram contratadas, e não há razão para que isso pare", destacou.

A primeira-ministra observou que o atual governo já carregou todas as informações sobre sua administração na plataforma digital criada pela Controladoria Geral da República. A partir de agora, serão as equipes técnicas da Castillo as responsáveis pela revisão dos documentos.

Anteriormente, Castillo foi recebido pelo controlador da República, Nelson Shack, cuja entidade auxiliará suas equipes técnicas e o governo atual durante a transição.

"Este é um processo de natureza estratégica, já que 60% do orçamento público é administrado pelo Poder Executivo, no qual existem 183 entidades públicas", disse Shack.

A controladoria detalhou que, para acelerar o processo, estão sendo realizadas reuniões virtuais, embora também haverá encontros presenciais no Centro de Convenções de Lima.