EFEBruxelas

O ex-presidente da Generalitat Carles Puigdemont disse nesta quinta-feira, durante o encerramento da manifestação independentista em Bruxelas, que "a Catalunha é a melhor face da Europa".

Em um discurso com o qual encerrou uma concentração que segundo a polícia belga mobilizou 45 mil pessoas, Puigdemont apelou diretamente ao presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, para que "a Europa se dê conta que ainda pode ter um papel" na crise catalã.

O ex-presidente catalão disse a Juncker que "os que se manifestam debaixo de seu escritório (...) não são criminosos, são democratas", e perguntou ao dirigente europeu se viu alguma vez em Bruxelas "uma manifestação como esta de apoio a criminosos", em alusão aos dirigentes independentistas.

"Queremos uma Europa de cidadãos livres, uma que escute seus cidadãos, além de escutar os Estados", disse Puigdemont, que voltou a reprovar o apoio da União Europeia ao presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy.

Puigdemont chamou os presentes a se pronunciarem nas urnas em 21 de dezembro "pela liberdade e a dignidade", sem nomear concretamente sua candidatura, "Junts per Catalunya", que segundo as últimas pesquisas poderia conseguir um resultado apertado com relação à lista da Esquerda Republicana da Catalunha (ERC).

Antes de Puigdemont, também discursaram os outros quatro ex-conselheiros processados que continuam em Bruxelas (Clara Ponsatí, Meritxell Serret, Lluis Puig e Toni Comín).