EFESantiago de Chile

O ministro da Saúde do Chile, Jaime Mañalich, anunciou nesta quinta-feira que o país registrou a quarta morte em decorrência da infecção pelo novo coronavírus, e que o número de novos casos, 164, foi menor do que o apresentado no boletim apresentado na véspera, que foi de 220.

"O fato de que tenhamos menos contágios do que ontem, não deve levar a nenhuma conclusão apressada. É esperado que o número de contágios siga subindo em grande escalada", explicou o integrante do governo

O Chile, que registrou o primeiro caso em 3 de março, chegou ao total de 1.306 casos desde então. Atualmente, 44 pacientes estão internadas, sendo quatro em "estado muito grave", conforme explicou o ministro da Saúde.

A quarta vítima, anunciada hoje, é a de um homem de 80 anos, que vivia na região de Biobío, a 500 quilômetros ao sul de Santiago, e que sofria do Mal de Parkinson e de insuficiência renal crônica, relatou Mañalich.

Até o momento, todas as mortes registradas no Chile são de idosos que apresentavam algum tipo de complicação clínica.

O Chile está em estado de exceção por catástrofe, com toque de recolher imposto de 22h às 5h, aulas suspensas até maio, com shoppings, cinemas, restaurantes e comércios não essenciais fechados, assim como a fronteira do país.