EFESantiago do Chile

O Chile registrou nesta sexta-feira mais de 800 casos de infecção pelo novo coronavírus pelo segundo dia consecutivo, o que não acontecia desde o início de agosto e aponta para uma leve alta no contágio após dois meses com baixa incidência da covid-19.

Com mais de 1,65 milhão de positivos contabilizados desde o início da pandemia e 37.423 mortes acumuladas, o país teve a notificação de mais 852 casos e 13 óbitos nas últimas 24 horas, de acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Saúde.

O índice de resultados positivos em testes de detecção do patógeno foi de 1,18% ao longo desta quinta-feira no país. Na região metropolitana de Santiago, onde vivem 8 milhões de pessoas, a taxa ontem foi de 2%.

Apesar da alta, o número de pacientes internados nas UTIs dos hospitais chilenos segue sendo considerado baixo, com cerca de 400, de acordo com os dados oficiais.

Atualmente, há informação de 4.075 casos ativos de covid-19, ou seja, de pessoas que estão infectadas e podem transmitir a doença para outras.

A campanha de vacinação no Chile já alcançou que 88% da população - cerca de 13,3 milhões de pessoas - tenha esquema completo, com a inoculação de duas doses da Coronavac ou dos imunizantes produzidos por AstraZeneca, Cansino e Pfizer.

No país, mais de 2,8 milhões de terceiras doses já foram aplicadas em idosos e pessoas que integram outros grupos prioritários.

Na próxima semana, por determinação do governo, será iniciada a vacinação em menores com idades de seis a 11 anos, com a Caronavac e a vacina da Pfizer.