EFETóquio

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, disse nesta quinta-feira que ainda é cedo para saber qual será a situação da pandemia da Covid-19 em 2021, por isso aposta em preparar os Jogos de Tóquio para que possam ser adaptados a diferentes cenários.

Essa é a ideia de Bach para que as Olimpíadas sejam "adequadas para um mundo pós-Covid", como ele disse hoje no início da comissão de coordenação realizada entre o COI e os organizadores dos Jogos via telemática.

O dirigente alemão destacou que nos últimos meses ocorreram desenvolvimentos notáveis que convidam ao otimismo em relação aos Jogos de Tóquio, incluindo medidas para o desenvolvimento de uma vacina ou a "retomada de um grande número de eventos esportivos" em todo o mundo.

Particularmente ele destacou as partidas das principais ligas nacionais do Japão, realizadas no último fim de semana pela primeira vez com mais de 5 mil espectadores nas arquibancadas, e "eventos complexos como o Tour de France e outros", como disse em seu discurso no início da reunião.

"Isso mostra que podemos desenvolver eventos esportivos mesmo sem a vacina", disse Bach, que, no entanto, admitiu a impossibilidade de "saber em detalhes todas as situações que poderíamos enfrentar em 10 meses" e com a evolução da pandemia e respostas médicas contra ele.

"O que podemos fazer é estabelecer princípios com os quais trabalhar, e isso consiste em organizar os Jogos adequados para o mundo pós-Covid e uma 'caixa de ferramentas' de medidas que podemos tomar quando chegar a hora e de acordo com o cenário", explicou Bach.

No atual contexto de incertezas causadas pelo vírus, "os governos de muitos países não podem sequer garantir se será possível entrar ou sair na próxima semana" devido às restrições de viagens que são aplicadas, disse o presidente do COI.

Por isso, pediu "sacrifícios" e "criatividade" a todos os atores envolvidos no movimento olímpico para "tomar decisões no momento oportuno" quanto às condições de movimentação dos atletas e mudanças nas regras e regulamentos que se aplicam aos Jogos de Tóquio.

Apesar de todas essas dificuldades, Bach expressou sua confiança de que os Jogos programados para o próximo ano, em Tóquio, "serão um sucesso", bem como "históricos em muitos aspectos".

A comissão de coordenação entre o COI e os anfitriões japoneses continuará até amanhã e se concentrará nos últimos avanços nos preparativos para as Olimpíadas e nas propostas dos organizadores para "simplificar" o evento após ter sido decidido adiá-lo por um ano devido à pandemia.