EFEBogotá

A Colômbia registrou nesta segunda-feira o maior número diário de mortes desde o começo da pandemia, com 420, e chegou a um total de 68.748 vítimas do coronavírus, segundo informações do Ministério da Saúde.

A última vez que o país havia reportado um número quase tão alto de mortes em um dia desde 22 de agosto, quando foram notificadas 400 infecções. De acordo com o relatório diário da pasta, o maior número de óbitos foi registrado em Antioquia, com 146, seguido por Atlántico (103), Bogotá (52), Valle del Cauca (40), e Cundinamarca (11).

Essas regiões também encabeçaram a lista de lugares com mais casos hoje: Atlántico, com 2.470, Bogotá (2.165), Antioquia (2.001), Cundinamarca (723) e Valle del Cauca (701).

Ao todo, foram reportados 14.189 novos contágios pelo vírus SARS-CoV-2, o que fez com que o total em território colombiano chegasse a 2.667.136 infecções, em um momento em que as unidades de terapia intensiva estão se aproximando de seu limite de capacidade nas principais regiões.

De acordo com o boletim diário do Ministério da Saúde, o número de casos ativos, que é de 101.106, também aumentou nas últimas semanas, enquanto o de infecções consideradas recuperadas é de 2.488.246.

BOGOTÁ DETERMINA NOVAS MEDIDAS.

Para evitar um colapso da rede hospitalar, as autoridades de Bogotá decretaram a partir de amanhã um toque de recolher diário das 20h até as 4h, bem como uma quarentena geral a partir da próxima sexta-feira, à meia-noite, até as 4h da próxima segunda.

"Sexta-feira, sábado e domingo, Bogotá estará novamente em quarentena geral, mas, dada a pressão sobre o sistema hospitalar, porque já estamos em 84% de ocupação geral das UTIs, colocaremos recolher obrigatório a partir das oito horas da noite", disse hoje a prefeita da capital colombiana, Cláudia López.

A situação nas principais cidades do país é tão crítica que as autoridades não só tiveram que restringir a mobilidade e aumentar as medidas de biossegurança, mas os pacientes com um grau mais elevado de complexidade são enviados a outros departamentos para tratamento médico pela alta ocupação dos leitos de terapia intensiva.

"Hoje estamos no mais alto nível de capacidade total da UTI que tivemos historicamente durante a pandemia", admitiu a prefeita.

Quanto à campanha de vacinação, em dois meses foram administrados 3.769.499 imunizantes contra o coronavírus em toda a Colômbia, dos quais 1.155.411 são segundas doses.