EFECairo

Os combates entre as forças do governo da Síria e as facções opositoras recomeçaram na manhã desta sexta-feira no norte do país e as baixas em ambos os lados já superam 80, desde que ontem os insurgentes fizeram um ataque contra posições do Exército, que hoje tenta recuperar terreno.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos informou hoje em comunicado que continuam os confrontos armados entre facções rebeldes e grupos jihadistas, por um lado, e as forças do governo apoiadas pela aviação russa, por outro, em torno da cidade estratégica de Tel Meleh, no norte da província de Hama.

Segundo a ONG com sede no Reino Unido, pelo menos 44 soldados das forças leais a Damasco morreram desde o começo dos confrontos ontem à tarde, além de 39 combatentes das facções opositoras, que morreram nos combates e ataques aéreos e de artilharia feitos pelo Exército sírio e pela Rússia.

O Observatório acrescentou que as forças governamentais e seus aliados tentam recuperar o terreno perdido ontem das mãos de seus oponentes, que lançaram uma ofensiva e tomaram o controle de várias localidades, incluindo Tel Meleh.

As tropas recuperaram o domínio de Kafr Hud, segundo a ONG, enquanto a aviação síria e russa fez dezenas de bombardeios durante a noite e nesta manhã sobre territórios tomados pelos rebeldes em Hama e na vizinha Idlib.

A agência de notícias estatal síria, a "Sana", afirmou que as unidades do Exército "destruíram os grupos terroristas que atacaram posições militares em Tel Meleh e Tel al Yabin, no norte de Hama".

Além disso, a "Sana" acrescentou que as unidades militares fizeram ataques e evitaram a expansão das "brigadas de Al Ezza", um dos grupos armados islamitas de mais destaque, causando mortos e feridos nas suas fileiras, assim como a destruição do seu equipamento e esconderijos em várias localidades dessa área.