EFELondres

O Partido Conservador, do primeiro-ministro Boris Johnson, conseguirá 368 cadeiras na Câmara dos Comuns nas eleições realizadas nesta quinta-feira no Reino Unido, garantindo assim a maioria parlamentar, segundo uma pesquisa de boca de urna divulgada pelas redes de televisão "BBC", "ITV" e "Sky" e realizada pela empresa Ipsos-MORI em 144 circunscrições eleitorais.

Para obter a maioria absoluta e continuar no posto de premiê, Johnson precisará de 326 assentos, o equivalente à metade mais um do total de lugares na Câmara.

Segundo a projeção, o Partido Trabalhista, liderado por Jeremy Corbyn, conseguirá 191 cadeiras, e o Liberal Democrata outras 13. Já o Partido Nacionalista Escocês (SNP) ficará com 55. A pesquisa também apontou que o galês Plaid Cymru obterá três cadeiras, e os Verdes ficarão com um. Chama a atenção, além disso, a indicação de que o Partido do Brexit não conseguirá emplacar representantes.

Se estes números se confirmarem ao fim da apuração, o líder conservador terá uma vitória mais expressiva que a esperada. Na campanha, ele reiterou diversas vezes a promessa de executar o Brexit - saída do Reino Unido da União Europeia (UE) - até 31 de janeiro de 2020.

Além disso, o Partido Conservador conseguirá sua maior bancada na Câmara dos Comuns - uma das duas casas do Parlamento de Westminster, sendo a outra a Câmara dos Lordes - desde 1987, na era Margaret Thatcher.

As últimas pesquisas antes das eleições não davam como garantido que os conservadores conseguiriam a maioria parlamentar e até indicavam que a legenda poderia perder alguns assentos.

Mais de 46 milhões de britânicos estavam convocados para participarem das eleições gerais antecipadas - estavam previstas inicialmente para 2022 - devido ao impasse na situação do Brexit.