EFECidade da Guatemala

O corpo do menino de 2 anos e meio que faleceu sob a custódia dos Estados Unidos, na semana passada, chegou à Guatemala e neste sábado será levado para sua aldeia natal, onde será sepultado.

O menino, em um caixão branco, chegou no final da noite de ontem ao aeroporto da capital, onde foi recebido por funcionários de migração e representantes do Ministério das Relações Exteriores.

O cônsul da Guatemala em El Paso (Texas), Tekandi Paniagua, disse aos jornalistas que com a chegada dos restos mortais de Wilmer Ramírez, chega ao fim o processo de repatriação do menino, após seu falecimento por uma aparente pneumonia em um hospital dos EUA, onde estava internado após ter cruzado a fronteira com sua mãe, no início de abril, embora ainda é preciso esperar a autópsia.

A criança foi detida junto com sua mãe, de 23 anos, dias depois de atravessar de forma irregular a fronteira entre o México e EUA, perto de El Paso, entre os dias 3 e 5 do mês passado.

O menor e sua mãe são nativos do leste da Guatemala, de uma comunidade "afastada" do município de Olopa, no departamento de Chiquimula.

O corpo da criança será entregue para sua avó materna, enquanto a mãe do pequeno "decidiu continuar seu processo migratório dentro dos Estados Unidos".

No dia 6 de abril, ele foi transportado de ambulância para um hospital da região depois de apresentar sintomas de adoecimento e mais tarde foi internado no Hospital Infantil Providencia de El Paso, onde morreu.

Trata-se do quinto menor de idade guatemalteco que morreu sob custódia das autoridades americanas desde dezembro do ano passado. EFE

pp/phg

(foto)(vídeo)