EFELondres

Sete dos dez candidatos a substituir Theresa May se mantêm na disputa para ser o novo líder do Partido Conservador e, consequentemente, primeiro-ministro do Reino Unido, após a primeira votação realizada nesta quinta-feira, com o ex-ministro das Relações Exteriores, Boris Johnson, claramente na frente da corrida.

Os três eliminados são a ex-ministra de Trabalho e Previdência, Esther McVey; a ex-líder do grupo conservador na Câmara dos Comuns, Andrea Leadsom; e o deputado Mark Harper. Todos os candidatos que seguem na disputa são homens.

Johnson aparece bem à frente de seus oponentes, uma vez que obteve um total de 114 apoios dos 313 deputados que votaram nesta quinta-feira em uma sala do parlamento britânico.

Além de Johnson, o atual responsável de Exteriores, Jeremy Hunt, e o ministro de Interior, Sajid Javid, são alguns dos candidatos que conseguiram o número de votos suficientes - 17 - para passar à próxima votação e continuar no processo para substituir May, que renunciou na sexta-feira passada, mas continua interinamente no cargo até a escolha do seu substituto.

Quanto ao número de votos, atrás de Johnson aparecem Hunt, com 43 respaldos; o ministro de Meio ambiente, Michael Gove, com 37; o antigo titular do Brexit, Dominic Raab, com 27; Javid, com 23; o ministro da Saúde, Matt Hancock, com 20, e o titular de Cooperação Internacional, Rory Stewart, com 19.

Após a votação de hoje, com a eliminação de McVey e Leadsom, não restou nenhuma mulher na disputa para suceder May.

O processo para escolher o novo líder "tory" continuará na próxima semana, quando haverá três votações - 18, 19 e 20 de junho - até que fiquem apenas dois candidatos, que se submeterão à decisão dos 160.000 filiados do Partido Conservador.

No próximo dia 18, os candidatos necessitarão do apoio de 32 deputados para passar à próxima votação.

A expectativa é que o vencedor seja informado no final de julho, quando May comparecer ao Palácio de Buckingham para despedir-se da rainha Elizabeth II, que, pouco depois, receberá o novo líder conservador e lhe pedirá que forme seu governo.

Após essa reunião com a chefe de Estado, o novo primeiro-ministro irá à residência oficial do número 10 da Downing Street para começar a nomear seus ministros.

O processo para substituir May começou em 10 de junho, quando dez deputados conservadores se apresentaram para concorrer à liderança "tory", o segundo que acontece desde que o Reino Unido votou a favor de sair da União Europeia (UE) em 23 de junho de 2016.

Os parlamentares votaram em uma sala do Parlamento de Westminster, entre eles a ainda primeira-ministra, que não quis revelar à imprensa em quem tinha votado.