EFEMiami (EUA)

O furacão Dorian se fortaleceu nas últimas horas deste domingo e vai atingir o nordeste das Bahamas com categoria 5, a mais alta da escala Saffir-Simpson, trazendo consigo ventos de até 260 km/h.

Segundo o último boletim do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (CNH), o Dorian também provocará chuvas "muito intensas" e uma elevação do nível do mar que pode destruir boa parte do arquipélago.

O NHC indicou que o furacão estava a 55 quilômetros a leste das ilhas Ábaco, nas Bahamas, a 360 quilômetros de West Palm Beach, nos estado americano da Flórida.

Mas as previsões continuam indicando que o Dorian mudará de rota antes de chegar aos Estados Unidos, se desviando da Flórida para percorrer, enquanto perde força, por toda a costa sudeste do país. Desta forma, também estão no caminho do furacão os estados da Geórgia, da Carolina do Sul e da Carolina do Norte.

O maior risco está nas próximas 48 horas, período em que o furacão estará sobre as Bahamas. Um fator que complica mais a passagem do Dorian pela região é a velocidade de avanço do fenômeno pelo mar, de apenas 13 km/h.

O NHC prevê "condições devastadoras" sobre as ilhas de Ábaco em "muito breve". Os efeitos do furacão começarão a ser sentidos na tarde de hoje na Grande Bahama, que fica a 90 quilômetros a leste do litoral da Flórida.

O Dorian provocará uma ressaca "potencialmente mortal" na região, elevando o nível do mar em até seis metros nas Bahamas. Além disso, o furacão virá acompanhado de intensas chuvas, que podem atingir até 760 milímetros nas próximas horas no arquipélago.

De acordo com o último boletim do NHC, o olho do furacão deve se aproximar da Flórida entre a noite de segunda e a madrugada de terça-feira.