EFEBarcelona

Há quatro anos sem conceder entrevistas coletivas no Barcelona, Lionel Messi voltou a ficar cara a cara com os jornalistas nesta sexta-feira, um dia antes da final da Copa do Rei, contra o Valencia, e defendeu a permanência do técnico Ernesto Valverde à frente da equipe 'blaugrana'.

"Eu gostaria que (Valverde) continuasse. No ano passado, fizemos a 'dobradinha', e a temporada ficou manchada pela eliminação. Neste ano, podemos fazer outra 'dobradinha', com uma mancha muito maior. Em dois anos, houve duas derrotas que marcam muito. Fora isso, o restante foi bom", declarou o cinco vezes melhor do mundo na sala de entrevistas do Barça.

Messi fez referência às eliminações do pentacampeão europeu nas duas últimas Liga dos Campeões. Em 2018, o time goleou a Roma por 4 a 1 na Espanha, pelas quartas de final, mas perdeu por 3 a 0 na volta, na Itália.

Nesta temporada, após ter feito 3 a 0 no Camp Nou, foi goleado pelo Liverpool por 4 a 0 no estádio Anfield Road e deu adeus nas semifinais. A imagem deixada pelo revés foi ainda pior porque os 'Reds' estavam desfalcados de dois atacantes titulares, Roberto Firmino e Mohamed Salah.

"Valverde vem fazendo um trabalho impressionante durante todo o tempo em que está aqui e não teve culpa na eliminação contra o Liverpool. Nós (jogadores) somos os únicos culpados. Foi lamentável a exibição que fizemos e a imagem que deixamos. Isso pode acontecer em um ano, mas não em dois. O treinador terá parte da culpa, mas os maiores culpados somos nós", comentou.

O craque argentino não concedia entrevista coletiva na Cidade Esportiva do Barcelona desde o dia 5 de maio de 2015, antes da primeira partida pelas semifinais da Liga dos Campeões da época, contra o Bayern de Munique. Pouco mais de quatro anos depois, acompanhado do zagueiro Gerard Piqué, falou para mais de 120 veículos do mundo todo. Foram 18 perguntas para o atacante e apenas três para o defensor.

Apesar do que aconteceu em Anfield, Messi negou que em algum momento tenha pensado em trocar de clube e lembrou que pela seleção os maus resultados têm sido comuns.

"Tive também muitas decepções pela Argentina e, no entanto, continuo tentando. Apesar de termos sido eliminados da Champions, não penso em deixar o Barça por nada", garantiu o camisa 10, que deixou claro que não fez nem faz qualquer tipo de promessa em relação a resultados.

"Não prometi trazer a Champions. Disse que faríamos tudo que fosse possível. Temos que pedir perdão por não termos jogado o suficiente para disputar a final", limitou-se a dizer.

Messi tem tudo para vencer a Chuteira de Ouro da Uefa pela sexta vez na carreira. O argentino marcou 36 gols pelo Campeonato Espanhol, o que lhe rendeu 52 pontos.

"Nem penso na Chuteira de Ouro. Não tenho isso na cabeça. Ainda estou pensando no que aconteceu em Liverpool, que foi um golpe muito duro. Ainda estou nessa. Agora, é preciso vencer esta final (Copa do Rei) e terminar o ano bem, com outro título", disse o atacante, que reconheceu que uma derrota em Sevilha neste sábado agravaria o mau momento da equipe.

"Não vencer esta final nos deixaria muito pior do que estamos agora. Temos que terminar bem, festejando mais um título, se possível. É preciso tentar superar o que aconteceu em Liverpool para ganhar a Copa", afirmou.

Por fim, perguntado sobre a possível contratação do atacante Antoine Griezmann, Messi disse claro que não se pronuncia sobre os movimentos do clube catalão no mercado. EFE

vmc/dr

(foto) (vídeo)