EFERoma

Uma mulher morreu neste sábado na região da Lombardia e se tornou o segundo caso de óbito em decorrência da infecção pelo coronavírus na Itália, país que já registrou 40 casos da doença, a maioria no norte do país.

A morte de hoje foi divulgada pela imprensa local e confirmada pelas autoridades, que não precisaram a idade da paciente, apenas que se trata de uma pessoa da região da Lombardia. Na noite desta sexta-feira, um homem de 78 anos faleceu na região de Veneto após ser diagnosticado com a Covid-19.

A maioria dos infectados foram registrados na Lombardia, 32, segundo o presidente regional, Lorenzo Fontana, relatou ao presidente do governo da Itália, Giuseppe Conte, durante conversa por telefone.

Dezenas de localidades no norte, que concentram cerca de 50 mil pessoas, foram isoladas pelas autoridades italianas, após a detecção do primeiro caso da Covid-19, um homem de 38 anos, que vivia na comuna Codogno, na Lombardia.

A região, neste sábado, amanheceu com ruas vazias, atividades comerciais suspensas e tendo todos os órgãos públicos que abrem aos sábados fechados.

Como este homem infectado nunca esteve na China, as autoridades acreditam que ele pode ter adquirido a doença ao jantar com um amigo que voltou no dia 21 de janeiro do país asiático, embora essa pessoa tenha dado negativo em exames e nunca apresentado sintomas.

O presidente da região de Veneto, Luca Zaia, informou nas redes sociais que a Defesa Civil local montou um hospital de campanha junto ao hospital de Padua, onde há um caso da Covid-19 confirmado, com 12 tendas e no máximo 96 leitos.

Ainda neste sábado, chegou a Roma o avião das Forças Aéreas que trouxe 19 italianos que estavam a bordo do cruzeiro Diamond Princess, em quarentena. O grupo foi encaminhado para uma unidade do exército, onde completarão o período de isolamento.