EFEXangai (China)

A China anunciou nesta sexta-feira a imposição de tarifas adicionais sobre US$ 75 bilhões em produtos americanos como retaliação às novas tarifas anunciadas pelos Estados Unidos, informou o Ministério das Relações Exteriores em comunicado.

Segundo o documento, as tarifas começarão a ser aplicadas em 1 de setembro, a mesma data em que entrarão em vigor as tarifas americanas sobre US$ 300 bilhões em produtos chineses anunciadas por Donald Trump.

Os produtos afetados são essencialmente automóveis, tarifados entre 5% e 25% pelos chineses.

De acordo com o comunicado do ministério das Relações Exteriores, as tarifas de Trump deram lugar a uma "escalada sustentada dos atritos econômicos e comerciais" entre ambos os países, "prejudicando em grande medida os interesses da China e de outros países, ameaçando gravemente o sistema multilateral de comércio e do princípio do livre-comércio".

Além disso, a China assegura que estas medidas são uma "resposta forçada" ao unilateralismo e ao protecionismo comercial dos EUA e pede a Washington que "coopere" para "chegar a uma solução aceitável para ambos e de benefício mútuo.

O Governo americano advertiu em 1 de agosto sobre a imposição de novas tarifas de 10% sobre US$ 300 bilhões em produtos chineses a partir de 1 de setembro, apesar de as negociações comerciais entre os dois países seguirem de pé.

Na semana passada e como reação ao anúncio de Trump, a China anunciou que optaria por contramedidas diante da séria "violação" dos consensos alcançados entre os líderes dos dois países nas rodadas de negociações que ambos os países mantêm há meses.