EFECairo

Pelo menos 47 combatentes das forças governamentais e de facções opositoras morreram neste sábado em novos combates entre os dois lados no norte da província de Hama, enquanto quatro civis perderam a vida em ataques em Hama e na região vizinha de Idlib, no norte da Síria.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, pelo menos três civis foram vítimas dos ataques aéreos e com mísseis do exército sírio em Idlib, onde a aviação russa, aliada do governo de Damasco, também está realizando bombardeios.

Um quarto civil morreu em decorrência dos ataques das facções opositoras contra uma cidade do norte de Hama que está controlada pelas forças governamentais.

A agência estatal de notícias sírias "Sana" confirmou, por sua vez, a morte de um civil e outros três feridos pelo impacto de projéteis lançados por "grupos terroristas" na cidade de Shaizar, no noroeste de Hama.

Há dois dias, os dois lados estão se enfrentando no norte e no noroeste de Hama para tentar ganhar terreno sobre o adversário e conseguir o domínio de novas cidades, e pelo menos cem combatentes morreram entre quinta e sexta-feira, segundo o Observatório.

No dia de hoje, os confrontos armados prosseguem com intensidade e já morreram 25 soldados das tropas sírias e suas aliadas, além de 22 membros dos grupos rebeldes e islamitas, segundo a última apuração dessa ONG com sede no Reino Unido, mas com uma ampla rede de colaboradores no terreno.

Idlib está controlada quase em sua totalidade por grupos islamitas e outros que operam sob o guarda-chuva do opositor Exército Livre Sírio e que também têm presença no norte de Hama e estão tentando expandir seus domínios para o oeste da província. EFE

fc-rz/rsd