EFELondres

A Escócia limitará os serviços de delivery e retirada de itens comprados pela Internet, como parte de um reforço das medidas contra a Covid-19, conforme anunciado nesta quarta-feira pela primeira-ministra, Nicola Sturgeon.

Durante aparição no Parlamento de Edimburgo, Sturgeon comunicou que, a partir do próximo sábado, as empresas que vendem comida para viagem não poderão ter clientes em suas instalações e terão que funcionar na porta ou por uma janela.

Além disso, apenas as lojas que vendem itens essenciais, como roupas, calçados ou produtos para bebês, terão permissão para operar no sistema "clique e pegue", que permite às pessoas comprarem algo on-line e irem buscá-lo.

Entre as restrições, está a proibição do consumo de álcool ao ar livre, o que obrigará quem comprar uma bebida alcoólica a consumi-la em casa.

Além disso, Nicola Sturgeon informou que espera publicar diretrizes para que os empregadores reforcem o trabalho remoto, enquanto os pedreiros só poderão entrar em casa para fazer "manutenção" essencial e não, por exemplo, pintar.

"Essas medidas adicionais, ao reduzir ainda mais as interações que permitem que o vírus se espalhe, ajudarão em nossos esforços essenciais para suprimi-lo", disse Sturgeon, no Parlamento.

Essas medidas se somam às fortes restrições que a Escócia já havia imposto no ano passado, com o fechamento de escolas e a proibição de entrada e saída de pessoas da região.

O objetivo, de acordo com o governo autônomo escocês, é reduzir os contatos entre as pessoas dentro de casa, diante da rápida disseminação de infecções, que as autoridades relacionam a uma nova cepa do coronavírus.

Contudo, Nicola Sturgeon salientou que o atual confinamento está apresentando efeito positivo na região, indicando que o aumento das infecções parece estar diminuindo, embora tenha assinalado ser prematuro "ter a certeza de que a situação está estabilizando" e alertou que a pressão sobre o Serviço Nacional de Saúde britânico (NHS, na sigla em inglês) vai continuar "por um tempo".

Segundo dados oficiais, a Escócia registrou 1.949 novos casos e 79 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas.