EFEMadri

A Espanha atingiu 4.089 mortes e 56.188 infectadas pela pandemia do novo coronavírus, segundo os últimos dados divulgados nesta quinta-feira pelo Ministério da Saúde espanhol.

Os números representam 655 mortes, com um aumento de 19% em relação a ontem, e 8.578 novos casos em relação ao último relatório, 18% a mais, enquanto existem 3.679 pacientes em terapia intensiva.

As Unidades de Terapia Intensiva (UTI) dos hospitais têm uma "alta ocupação", destacou o ministro da Saúde, Salvador Illa, em uma aparição no Congresso.

Pela primeira vez desde o início da pandemia, o número de mortos caiu em relação ao dia anterior, após 738 mortes terem sido relatadas ontem.

Illa esperava que a leve redução diária de novas infecções e mortes confirmasse mais tarde que uma "fase de estabilização" da propagação da pandemia em todo o país tinha começado.

Hoje, o número de pacientes curados aumentou 30,7%, para 7.015 altas hospitalares. A região mais afetada continua sendo Madri, com 265 mortes nas últimas 24 horas, totalizando 2.090 mortes.

As internações em UTIs de hospitais na região de Madri aumentaram 6% em um dia, colocando ainda mais pressão sobre o sistema hospitalar à beira da saturação, dizem os profissionais de saúde.

Depois de Madri, a segunda área mais afetada é a Catalunha, com 11.592 casos e 672 mortes, embora essa região tenha registrado um aumento maior de incidência nos últimos dias.