EFEWashington

Os Estados Unidos aumentaram nesta sexta-feira as tarifas sobre o aço e o alumínio da Turquia para 50% e 20%, respectivamente, após a lira turca se desvalorizar 10% nas últimas horas e superar a barreira das 6 unidades por dólar.

"Acabo de autorizar a duplicação das tarifas sobre o aço e o alumínio da Turquia, já que sua moeda, a lira turca, se desvaloriza rapidamente frente ao nosso dólar muito forte!", afirmou o presidente americano, Donald Trump, em sua conta oficial no Twitter.

"O alumínio agora será 20% e o aço 50%. Nossas relações com a Turquia não são boas neste momento!", acrescentou Trump.

A lira turca se desvalorizou hoje em meio ao nervosismo dos mercados pelas sanções impostas pelos EUA e a interferência do governo da Turquia na política monetária.

A moeda já caiu nesta quinta-feira em 5% frente ao dólar e o euro, e em uma semana acumula uma desvalorização de cerca de 20%, até chegar ao seu menor valor histórico frente às divisas de referência.

Os especialistas atribuem a desvalorização da lira turca à fragilidade da economia do país, baseada sobretudo no consumo interno, com um alto déficit comercial e carente de investimentos estrangeiros, além da recusa das autoridades turcas de aumentar as taxas de juros.

O governo dos EUA anunciou há uma semana a imposição de sanções econômicas contra os ministros turcos da Justiça, Abdülhamit Gül, e do Interior, Suleyman Soylu, por seu papel na detenção na Turquia do pastor protestante americano Andrew Brunson.

A Procuradoria turca pede até 20 anos de prisão para Brunson ao considerar que o pastor tem laços com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), a guerrilha separatista curda da Turquia, e que também está vinculado com a rede do clérigo islamita Fethullah Gülen, exilado nos EUA, a quem Ancara atribui o fracassado golpe de Estado de 2016.

As tensões entre a Turquia e os EUA, agravada nos últimos dias pela situação de Brunson, chegou hoje outro nível com o anúncio do aumento dos encargos de Trump sobre o aço e alumínio turco.