EFELima

Um juiz peruano proibiu nesta segunda-feira que Susana Villarán, ex-prefeita de Lima, de sair do país devido à suspeita de ela ter recebido ilegalmente dinheiro das construtoras brasileiras Odebrecht e OAS.

O juiz Manuel Chuyo, titular do Terceiro Tribunal de Investigação Preparatória, determinou que a proibição dure oito meses. Também está proibido de deixar o país o ex-gerente municipal de gestão durante o governo de Villarán, José Miguel Castro.

Na última sexta-feira, a Promotoria abriu uma investigação preliminar contra a ex-prefeita, acusada de receber US$ 3 milhões para financiar de maneira irregular uma campanha para evitar seu afastamento do cargo em 2013.