EFEMontevidéu

O volante Felipe Melo, capitão do Palmeiras, se mostrou agradecido por disputar outa final da Taça Libertadores e recomendou que seus companheiros "disfrutem a ansiedade e o nervosismo, já que 98% dos jogadores sul-americanos dariam tudo" por esta oportunidade.

O jogador, de 38 anos, concedeu uma entrevista coletiva ao lado ao técnico Abel Ferreira, momentos antes do reconhecimento do campo do Estádio Centenário de Montevidéu, 24 horas antes da disputa da partida pelo título continental.

"Cerca de 98% dos jogadores dariam tudo para estar aqui. Os outros 2% nunca sequer pensaram nisso e só pensam em ir para a Europa para jogar a final da Liga dos Campeões, mas 98% dos jogadores sul-americanos queriam estar aqui", comentou o volante.

Na opinião do jogador, "a final da Libertadores não tem favoritos", já que "na final pode acontecer de tudo".

"Não existe favoritismo para um jogo como este, com duas equipes gigantes, duas equipes com grande elenco, grande plantel, e tudo pode acontecer", declarou.

Felipe Melo disse estar "à disposição do técnico para ajudar". Apesar de estar se recuperando de uma lesão, o jogador comentou que gosta "de encarar os problemas buscando soluções" e que "quando maior a dor, maior será a bênção" e que, como "grande capitão e líder", tentará ajudar como a comissão técnica permitir.

Palmeiras e Flamengo, os últimos campeões da Libertadores, se enfrentarão por mais um título neste sábado, às 17h (horário de Brasília), no Estádio Centenário de Montevidéu. EFE