EFEBuenos Aires

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, conversou nesta sexta-feira com o mandatário ucraniano, Volodymyr Zelensky, a quem expressou repúdio contra a invasão russa à Ucrânia e ofereceu ajuda humanitária adicional.

Durante a conversa, que durou 35 minutos, Fernández expressou "apoio a todas as negociações que possam ser empreendidas para a cessação das hostilidades e a procura de um diálogo que leve urgentemente à paz", disse a presidência argentina em comunicado.

O chefe de Estado argentino também "ratificou a rejeição argentina da invasão russa da mesma forma que o fez em todos os fóruns internacionais".

De acordo com a declaração, Zelensky falou com Fernández sobre o "trágico número de mortes diárias" e a "crise humanitária que o seu país está atravessando em resultado da guerra".

O político ucraniano também agradeceu a Fernández pelas "reflexões, opiniões e apoio do governo" da Argentina, que o presidente ucraniano considerou "um país chave e influente na América Latina".

Pela sua parte, o presidente argentino se ofereceu para aumentar a ajuda humanitária que a Argentina já enviou à Ucrânia "se necessário".

Como presidente da Comunidade dos Estados da América Latina e do Caribe (Celac) deste ano, Fernández disse a Zelensky que a América Latina é "um continente de paz que rejeita o uso da força e promove o diálogo para resolver conflitos".

Em mensagem no Twitter, Zelensky disse que o seu contato com Fernández fazia parte do seu objetivo de estabelecer "relações com uma região importante: a América Latina".

"Falei com o presidente Alberto Fernandez, agradecendo-lhe a ajuda humanitária, a condenação da agressão russa e a suspensão da participação russa no Conselho dos Direitos Humanos da ONU", afirmou o mandatário ucraniano. EFE