EFEAssunção

A final da Taça Libertadores, entre Santos e Palmeiras, marcada para o próximo sábado, no Maracanã, será transmitida para um número recorde de 191 países, anunciou nesta quarta-feira o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez.

A partida também estará disponível em voos comerciais e navios de cruzeiro graças a um acordo entre a confederação sul-americana e a empresa Sport 24, especializada em transmissões esportivas em meios de transporte.

Além do recorde de transmissão, a Libertadores deste ano também ostenta o maior prêmio em dinheiro da história da competição: US$ 15 milhões para o vencedor. Somam-se a isso os ganhos que a equipe vencedora recebeu por ter avançado de cada etapa da competição, elevando o total para cerca de US$ 22 milhões.

Soma-se a isso o dinheiro que o campeão receberá por garantir a classificação para a fase de grupos da próxima edição do torneio continental, ainda neste ano.

Além de anunciar os novos recordes da Libertadores, Domínguez também fez um balanço de uma temporada no futebol sul-americano marcada pela pandemia do coronavírus.

"A Conmebol foi a única confederação no mundo que manteve inalterados os formatos de suas competições, com jogos em casa e fora e final em jogo único", enalteceu o dirigente paraguaio durante uma reunião do Conselho da Conmebol.