EFENova Delhi

A Índia ultrapassou nesta quinta-feira a marca de 1 bilhão de doses de vacinas contra a covid-19 aplicadas, tornando-se o segundo país depois da China a atingir esse número histórico em pouco mais de nove meses.

O país do Sul da Ásia ultrapassou às 9h47 (hora local) o limite de 1 bilhão de doses aplicadas no país desde o início da campanha de vacinação, no dia 16 de janeiro, segundo os dados da plataforma oficial "Cowin", criada pelo autoridades indianas para gerenciamento de vacinação.

Nas últimas 24 horas, pouco mais de 4,1 milhões de doses foram inoculadas no país com mais de 1,25 bilhão de habitantes, enquanto a China administrou mais do que o dobro.

No total, mais de 700 milhões de pessoas receberam pelo menos uma dose na Índia, enquanto quase 300 milhões de pessoas já receberam a dosagem completa, o que é insuficiente em um país com cerca de 950 milhões de adultos.

No entanto, o presidente da Associação Médica Indiana (IMA, na sigla em inglês), Dr. J.A. Jayalal, explicou à Agência Efe que o intervalo entre a primeira e a segunda dose é devido à espera de 80 dias entre elas.

Além disso, acrescentou, "há seis meses era muito difícil administrar mais de 3 milhões de doses (diárias). Agora, podemos chegar a até 10 milhões de doses diárias, mas isso é algo que pudemos fazer nos últimos três meses. Então, aquelas pessoas que foram vacinadas com a primeira dose neste momento, receberão a segunda nos próximos meses".

A Índia celebrou a marca com comemorações, incluindo uma contagem regressiva no site "Cowin", contando as doses restantes para atingir a grande conquista de 1 bilhão, que foi acompanhada pelo slogan do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, "Juntos, a Índia derrotará a covid-19".

Enquanto isso, a pandemia na Índia registra seus números mais baixos em meses, com 18.454 novos casos nas últimas 24 horas que estão longe das mais de 400 mil infecções diárias durante o pico da segunda onda no país em maio, elevando o total para 34,1 milhões de diagnósticos positivos no país.

Por sua vez, foram registradas 160 mortes nas últimas 24 horas, longe dos mais de 4 mil óbitos por dia durante o mês de maio, o que eleva para 452.811 o número de vítimas da covid-19, segundo os últimos dados do Ministério da Saúde indiano.

A campanha na Índia depende fortemente de duas fórmulas fabricadas no país: Covishield, da AstraZeneca; e a Covaxin, do laboratório indiano Bharat Biotech. Possui também outras vacinas licenciadas, como a russa Sputnik V, e as americanas Moderna e Janssen. EFE