EFEJerusalém

Israel segue quebrando recordes negativos de novos casos de Covid-19, desta vez com 5,5 mil infecções nas últimas 24 horas e decidiu adiantar o fechamento de escolas em um dia, previsto para sexta-feira, quando terá início um novo confinamento nacional.

O Conselho de Ministros deu hoje sinal verde para a proposta de antecipar em um dia o fechamento das escolas e creches, que deixarão de funcionar presencialmente a partir de amanhã. Somente internatos e escolas para alunos com necessidades especiais ou para jovens em situação de risco serão autorizados a ter aulas.

A decisão foi tomada após se conhecer o novo recorde de positivos diários, com mais de 5.523 nas últimas 24 horas, número que deve ser levado em consideração, no entanto, que também foi alcançado um recorde de testes, com 57 mil diários. Desde fevereiro, Israel acumula 167 mil infecções no total.

O número de pacientes em estado grave é de 535, dos quais 138 estão ligados a respiradores. Já as vítimas da Covid-19 em Israel somam 1.147.

Na próxima sexta-feira, Israel começará um novo confinamento. Os israelenses não poderão ir a mais de 500 metros de suas casas, exceto para algumas atividades permitidas. Hotéis, academias, escolas, salões de festas e todos os estabelecimentos, exceto aqueles de bens essenciais, serão fechados, e as empresas privadas terão um número limitado de funcionários que podem comparecer e não poderão atender ao público pessoalmente.

O confinamento deve durar três semanas, mas também pode ser estendido se a taxa de morbidade no país não diminuir.