EFERoma

A Defesa Civil da Itália registrou nesta quinta-feira 760 mortes a mais em decorrência da Covid-19, elevando o total no país para 13.915, enquanto os casos de infecção pelo novo coronavírus chegaram a 115.242.

O número de infectados desde que o vírus foi detectado na Itália, no dia 21 de fevereiro, é de 115.242, o que representa um aumento de 4.668 nas últimas 24 horas, 4,2% a mais do que ontem.

Desses, 18.278 já foram curados (1.431 no último dia) e atualmente existem 83.049 casos positivos, 2.477 a mais que ontem.

Dos atuais casos positivos, 50.456 pessoas estão isolados em suas casas com sintomas leves e 4.053 internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), 18 a mais do que ontem, um "número reduzido" comemorado pelo chefe da Defesa Civil, Angelo Borrelli, pois alivia a pressão sobre os hospitais, quase à beira do colapso.

O número de mortes por coronavírus registrado nas últimas 24 horas subiu 760, um aumento em comparação aos 726 registrados no boletim divulgado ontem.

Borrelli não quis entrar na questão de saber se a redução da curva de contágio já foi realizada, mas declarou que "está se estabilizando", diante dos números mais recentes.

"Pelo menos desde 27 de março, estamos vendo uma redução nos aumentos de hospitalizados e também em terapia intensiva. Estamos testemunhando uma série de valores que estão nos estabilizando", afirmou durante entrevista coletiva.

O chefe da Defesa Civil disse não saber quando a redução líquida no número de infecções, mas insistiu em manter elevada todas as atenções e medidas tomadas, como confinamento ou distância social.

A região mais afetada continua sendo a Lombardia, no norte, com 46.065 pessoas infectadas, e onde 25.876 continuam positivas para a doença. As mortes nessa região já são 7.960.

O governador da Lombardia, Attilio Fontana, comemorou hoje mais um "dia positivo", pois a pandemia está sendo contida e ele espera que os números comecem a cair "dentro de um dia".

Por outro lado, saiu hoje um segundo grupo de 77 médicos para reforçar os hospitais nas regiões norte da Lombardia, Piemonte, Emilia-Romagna, Vale de Aosta, Trentino-Alto Ádige e Marcas (centro), depois de outro primeiro grupo de 21 médicos.

O governo italiano prorrogou até o próximo dia 13 as medidas de restrição e confinamento da população, que expirariam amanhã.