EFERoma

A Itália registrou nesta terça-feira mais 5.901 casos de infecção pelo novo coronavírus, a quantidade mais alta desde o fim de março, enquanto houve 41 notificações de mortes nas últimas 24 horas, conforme dados do Ministério da Saúde.

O aumento no contágio acontece em momento que o país chegou a 112 mil testes de diagnóstico em um mesmo dia, número considerado alto e que mantém o padrão recente de exames em massa.

Com isso, o total de casos de infecção pelo patógeno que provoca a Covid-19, desde o início da pandemia na Itália, subiu para 365.467. Já a quantidade de óbitos registrados ascendeu a 36.246.

Atualmente, segundo dados do Ministério da Saúde, há 87.193 casos ativos de infecção pelo novo coronavírus, sendo que a maioria permanece isolada em casa. O número de internados em hospitais é de 5.590, sendo que 317 deram entrada ontem.

Ao todo, 514 pacientes estão em unidades de terapia intensiva, o que representa 62 a mais do que ontem.

Nos últimos dias, entrou em vigor na Itália um novo decreto do governo do país, com restrições para conter o contágio. Entre as novas regras estão o fechamento de estabelecimentos públicos, como bares e restaurantes, antes da 0h.

Também é proibido praticar esportes de contato entre amigos, como futebol ou basquete, bem como realizar festas particulares em locais públicos e discotecas.

Hoje, o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, pediu que sejam respeitadas as normas para conter a pandemia da Covid-19.

"As novas regras envolverão sacrifícios, mas estamos convencidos de que, respeitando elas, seremos capazes de enfrentar adequadamente esta fase. Nosso objetivo é muito claro: evitar um confinamento geral ao país", disse. EFE

gsm/bg

(vídeo)