EFELondres

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse nesta sexta-feira que o Reino Unido irá avançar com o fim das restrições, conforme o planejado a partir de segunda-feira, mas avisou que a variante indiana "pode causar uma grave perturbação" no progresso da reabertura e complicar o levantamento total das medidas em 21 de junho.

Em uma coletiva de imprensa, Johnson afirmou não haver provas de que as vacinas sejam menos eficazes contra a nova variante - que está se espalhando rapidamente em algumas cidades do norte de Inglaterra - e por isso a campanha de vacinação será acelerada para dar a segunda dose o mais rápido possível a todos os maiores de 50 anos.

"Há algumas coisas importantes que não sabemos. Acreditamos que (a variante indiana) é mais transmissível, mas não sabemos quanto. Se for apenas um pouco, podemos avançar mais ou menos com os planos, mas, se for muito, enfrentaremos decisões difíceis", ressaltou.

O Grupo de Assessores Científicos para Emergências do governo (SAGE, em inglês) divulgou nesta sexta-feira a ata de sua última reunião, realizada na véspera, na qual constataram que existe "uma possibilidade realista" de que a variante indiana ser "até 50% mais transmissível" que a de Kent, a predominante no Reino Unido.

"Se esta variante superar a de Kent entre 40% e 50% em nível nacional", os modelos indicam que a reabertura do espaço interno de bares e restaurantes autorizada por Johnson a partir de segunda-feira levará a "um aumento substancial de internações" na Inglaterra, "similar, ou maior, a picos anteriores", alertaram os cientistas.

O premiê britânico recordou que o país está "em uma posição muito melhor do que no Natal", uma vez que quase 70% dos adultos já receberam pelo menos uma dose da vacina, e a variante indiana também não demonstrou ser mais resistente à imunização.

Por essa razão, seguindo o conselho das autoridades médicas, o tempo entre a primeira e a segunda dose para os maiores de 50 anos e os vulneráveis deve ser reduzido das atuais 12 semanas para oito semanas.

"Penso que não precisamos atrasar o roteiro e poderemos passar para o nível 3 (da reabertura) a partir de segunda-feira. Mas esta nova variante pode causar uma grave perturbação no nosso progresso e complicar a mudança para o nível 4 em junho", reconheceu.

Os primeiros dados sugerem que a variante indiana se espalhou principalmente entre os menores de 60 anos de idade. No entanto, como o conselheiro médico do governo, Chris Whitty, salientou, resta saber se isto se deve ao fato de as pessoas mais jovens terem mais contato social e serem mais suscetíveis de serem infectadas ou se, pelo contrário, prova a eficácia da vacina.

"A corrida entre o nosso programa de vacinação e o vírus pode estar prestes a ficar muito mais apertada", destacou Johnson.