EFELuxemburgo

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse nesta segunda-feira que o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, "ainda não apresentou" uma proposta para evitar uma fronteira dura na ilha da Irlanda.

Juncker afirmou após uma reunião com Johnson que "é responsabilidade do Reino Unido apresentar as soluções legalmente operacionais que sejam compatíveis com o acordo de retirada" do país da UE. Em comunicado, a Comissão explicou que "essas propostas ainda não foram feitas".

O objetivo da reunião, que aconteceu em um restaurante no centro de Luxemburgo e também contou com a participação do negociador europeu para o Brexit, Michel Barnier, foi "tomar nota das atuais conversas técnicas entre a UE e o Reino Unido e debater os próximos passos".

Jean-Claude Juncker lembrou que cabe ao Reino Unido dar o passo de propor "soluções" e ressaltou a "vontade e abertura" da Comissão para analisar se essas propostas cumprem os objetivos da salvaguarda, ou seja, se permitem evitar uma fronteira dura entre Irlanda e Irlanda do Norte.

Essa cláusula tem como objetivo evitar uma fronteira física entre Irlanda e Irlanda do Norte depois do Brexit. A medida visa que a Irlanda do Norte continue alinhada às regras do bloco caso os outros integrantes do Reino Unido não cheguem a um acordo sobre a futura relação comercial depois de um período de transição.

Após a reunião, a Comissão Europeia indicou que seguirá disponível para trabalhar todo o tempo necessário e acrescentou que a cúpula europeia dos dias 17 e 18 de outubro será "um marco importante no processo".

Bruxelas se mostrou aberta para debater qualquer proposta apresentada por Londres, principalmente em relação à salvaguarda para a ilha da Irlanda, o principal impasse das conversas já que Johnson a rejeita plenamente e a UE se nega a eliminá-la do acordo.

Após se encontrar com Juncker e Barnier, o primeiro-ministro britânico se reuniu com o premiê de Luxemburgo, Xavier Bettel.