EFESanta Cruz de La Palma (Espanha)

A lava lançada pela erupção de um vulcão da ilha de La Palma, na Espanha, tem uma altura média de seis metros, emitiu de 6 mil a 9 mil toneladas diárias de óxido de enxofre e avança a 700 metros por hora, arrasando casas, plantações e o que mas encontra no caminho.

Até o momento, a erupção do vulcão, localizado na cidade de El Paso, nas Ilhas Canárias não deixou vítima, mas o presidente do governo de La Palma, Mariano Hernández Zapata, classificou a situação na região como "desoladora".

"Está comendo casas, infraestruturas e plantações que encontra no caminho, até a costa do vale de Aridane", explicou o líder político.

Pouco antes de serem completadas 24 horas da erupção, que aconteceu às 11h12 (de Brasília), o vulcão de La Palma, que faz parte das Ilhas Canárias, lançou de 6 mil a 9 mil toneladas diárias de dióxido de enxofre (SO2).

Os dadoz fazem parte das primeiras estimativas divulgadas pelo Instituto Vulcanológico do arquipélago atlântico (Involcan).

Enquanto isso, mais de 5 mil pessoas já tiveram que deixar os locais onde viviam, para que tivessem a segurança garantida. A Unidade Militar de Emergências do Exército da Espanha deslocou para a região 67 integrantes e 30 veículos.

Ainda na manhã de hoje, o efetivo seria aumentado até chegar a 180 e mais 22 veículos seriam enviados, segundo afirmou a ministra da Defesa do país europeu, Margarita Robles, em entrevista à emissora espanhola de televisão "Antena 3 Televisión".

A integrante do governo nacional, inclusive, revelou que está sendo feita análise sobre a possibilidade de enviar algum tipo de material e pessoal especializado em gases, caso necessário, e que a Marinha está preparada "para fazer algum tipo de aproximação pelo mar".

O presidente da Cruz Vermelha nas Ilhas Canárias, Antonio Rico, afirmou estar acontecendo uma "verdadeira catástrofe" na região. O dirigente da organização alertou a população para uma interrupção das atividades normais por tempo indeterminado e lamentou que muitos precisarão "deixar para trás" lembranças e bens materiais.

A Cruz Vermelha deslocou para La Palma 20 agentes, que se somaram a outros 15 que já trabalhavam na região para dar apoio às pessoas que estavam alojadas em um albergue montado em antigas instalações militares, assim como para turistas e equipes de emergência.

O presidente do governo da Espanha, Pedro Sánchez, está desde domingo na ilha, atuando junto com o Plano de Proteção Civil, que foi formado para a coordenação com todas as autoridades envolvidas com a operação em torno da erupção do vulcão.

Hoje, o chefe do governo, junto com o ministro do Interior, Fernando Grande-Marlaska, visitaria pela manhã as pessoas que estão em alojamento, após terem deixado suas casas. Durante a tarde, Sánchez visitaria as áreas mais afetadas pelo fenômeno, junto com presidente das Ilhas Canárias, Ángel Víctor Torres.