EFEBratislava

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, disse nesta quinta-feira que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) está tentando conter seu país "agressivamente" em vez de chamar para o diálogo.

"Em vez de diálogo, somos confrontados com uma contenção agressiva de nosso país", criticou o chanceler, durante seu discurso na cúpula ministerial que a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) organiza até amanhã, em Bratislava, capital da Eslováquia.

"A nossa proposta de reduzir a tensão na fronteira russa com os países da Otan ainda não recebeu resposta", insistiu.

Lavrov reiterou suas críticas à expansão da Aliança para países de sua antiga esfera de influência para as fronteiras russas, o que, ele disse, é uma fonte de tensão na Europa Oriental.

O chanceler russo disse que foi atingido um nível de tensão que não se via desde a Guerra Fria.

Sergey Lavrov exigiu que a OSCE estabelecesse uma arquitetura de segurança comum, sem dividir as linhas entre Oriente e Ocidente.

Por fim, ele mostrou confiança de que a cúpula crucial que na próxima segunda-feira reunirá os líderes da Ucrânia, Rússia, França e Alemanha pela primeira vez desde 2016, impulsione a implementação dos Acordos de Minsk.

Esses acordos contemplam a convocação de eleições locais na região ucraniana de Donbass e a concessão de autonomia aos separatistas, se as eleições forem declaradas democráticas por observadores internacionais. EFE

ll-as/phg

(foto)(vídeo)