EFELondres

O governo do Reino Unido ressaltou nesta segunda-feira que não quer um "confronto" com o Irã, mas exigiu que libere "imediatamente" o petroleiro Stena Impero, de bandeira britânica, retido na sexta-feira no estreito de Ormuz.

"Não buscamos um confronto com o Irã, mas é inaceitável a escalada (das tensões) ao capturar um navio que cumpria com sua atividade legítima através de vias marítimas internacionalmente reconhecidas", afirmou hoje um porta-voz da residência oficial de Downing Street.

A fonte fez esta afirmação por ocasião da realização hoje de uma reunião de emergência do governo, presidida pela primeira-ministra britânica, Theresa May, para abordar a crise, antes que o ministro das Relações Exteriores, Jeremy Hunt, relate esta tarde ao parlamento as possíveis medidas a serem adotadas.

"O alto volume de navios que passam pelo estreito de Ormuz torna impossível acompanhar as embarcações de forma individual", acrescentou o porta-voz, em referência à possibilidade de que navios de guerra britânicos pudessem escoltá-los.

"Já trabalhamos estreitamente com parceiros internacionais para assegurar um esforço coordenado para defender a liberdade de navegação, que inclui compartilhar informação sobre as ameaças às embarcações", especificou.

O petroleiro Stena Impero, com 23 tripulantes a bordo, foi retido na sexta-feira em Ormuz por membros da Guarda Revolucionária do Irã, semanas depois que uma embarcação iraniana, que aparentemente levava petróleo à Síria em violação das sanções da União Europeia (UE) contra esse país, foi retida em Gibraltar.

As autoridades iranianas acusam o Stena Impero de não respeitar as normas de navegação, algo negado por sua proprietária, a barqueira Stena Bulk.

Após esse incidente, o Reino Unido pediu aos navios com bandeira britânica que evitem navegar pelo estreito de Ormuz durante um "período provisório" para diminuir as tensões na região.