EFECidade do México

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, anunciou nesta quarta-feira que apresentará uma sessão semanal em suas entrevistas coletivas matinais para desmascarar "notícias falsas".

"Vamos chegar aqui um 'Quem é quem nas mentiras da semana?' para combater as notícias falsas. Há quem esteja sempre em primeiro lugar, ou seja, sempre com a medalha de ouro, mas aqui vamos expô-los", disse o presidente.

Do Palácio Nacional, López Obrador afirmou que irá expor aqueles responsáveis pela circulação de rumores sobre seu governo e questões gerais.

"Vamos estar aqui expondo todas as notícias falsas e também esclarecendo, informando", disse.

Só nos canais oficiais do governo, a "La Mañanera", a entrevista coletiva matinal do presidente mexicano, tem mais de 1 milhão de visitas diárias.

E apesar das críticas, López Obrador sempre defendeu seu direito de "informar".

"Eles manipulam (os conservadores) porque se vissem pela manhã aqui teriam informações sobre o que está acontecendo, mas só ficam com as informações que seus meios de comunicação lhes dão", disse.

O presidente começou com suas entrevistas diárias em 3 de dezembro de 2018, dois dias após chegar ao poder, como uma promessa de oferecer transparência ao contrário de seu antecessor, Enrique Peña Nieto, que deu apenas algumas coletivas entre os anos de 2012 a 2018.

Mas um estudo da organização Vital Signs encontrou uma média de 80 "mentiras, meias-verdades e fatos inverificáveis" em cada coletiva do mandatário.

Já o site "Verificado" informou que seis em cada dez frases verificáveis de López Obrador são "mentiras ou meias-verdades".

As entrevistas diárias do presidente também foram criticadas durante as campanhas eleitorais para o pleito do último dia 6, porque o Instituto Nacional Eleitoral (INE) e o Tribunal Eleitoral do Poder Judiciário Federal (TEPJF) consideraram parte de seu conteúdo como "propaganda".