EFESkopje

Os macedônios terão que esperar até 5 de maio para escolher o próximo presidente do país, data na qual o social-democrata do SDSM, Stevo Pendarovski, e a conservadora do VMRO-DPMNE Gordana Silyanovska se enfrentarão no segundo turno das eleições.

Com 99,96% das urnas apuradas, Stevo Pendarovski aparece com 42,85% dos votos válidos, enquanto Gordana Silyanovska possui 42,24%, de acordo com a comissão eleitoral. A diferença entre ambos é de 4 mil votos.

Blerim Reka, que concorria com o apoio de alguns partidos de etnia albanesa, ficou fora da disputa do segundo turno, porque obteve apenas 10,57% dos votos.

O domingo de votação foi tranquilo no país, mas somente 41,82% das pessoas convocadas compareceram, o que se traduziu na participação mais baixa de uma eleição presidencial dos últimos 15 anos.

Para ser válido, o segundo turno tem que reunir pelo menos 40% dos eleitores. Caso isso não ocorra, novas eleições precisarão ser convocadas e o presidente do Parlamento assume o cargo temporariamente.

O mandato do presidente Gjorge Ivanov termina em 12 de maio.

De acordo com o analista político Agim Jonuz, apesar de ter perdido, Reka pode ser fundamental para resolver o pleito.

"Tenho certeza que os principais atores na votação de 5 de maio serão Blerim Reka e os partidos de oposição albaneses que o apoiaram. Reka decidirá quem será o próximo presidente", disse Jonuz.

Jonuz também destacou o "profundo problema" que a coalizão governamental enfrenta por não ter conseguido garantir uma vantagem significativa para Pendarovski.

O primeiro-ministro da Macedônia do Norte, o social-democrata Zoran Zaev, havia prometido que se seu candidato perdesse este pleito, convocaria eleições gerais antecipadas, como reivindica a oposição conservadora.