EFEParis

O presidente da França, Emmanuel Macron, considerou nesta sexta-feira que Jair Bolsonaro "mentiu" sobre seus compromissos ambientais, por isso se oporá à assinatura do tratado de livre-comércio entre União Europeia (UE) e Mercosul, indicaram fontes da presidência francesa.

"Dada a atitude do Brasil nestas últimas semanas, o presidente só pôde constatar que o presidente Bolsonaro mentiu durante a cúpula de Osaka" do G20, disseram as fontes.

As mesmas fontes apontaram que, "nessas condições, a França se oporá ao acordo firmado com o Mercosul".

Macron elevou o tom na troca de acusações mantida nos últimos dias com Bolsonaro por conta dos incêndios que estão devastando a Amazônia nas últimas semanas.

O presidente francês lembrou que o Brasil assinou as conclusões da cúpula do G20 de Osaka de junho em matéria de biodiversidade, estipuladas por todos os componentes desse grupo, exceto pelos Estados Unidos, que já tinham se distanciado do resto nas duas anteriores reuniões.

Mas Paris sustenta que, com a atitude demonstrada nas últimas semanas, Bolsonaro não está cumprindo com os compromissos pactuados, por isso que considera que mentiu durante a cúpula do Japão.

"As decisões e declarações do Brasil nestas últimas semanas demonstram que o presidente Bolsonaro decidiu não respeitar seus compromissos climáticos e nem se comprometer em matéria de biodiversidade", acrescentaram as fontes.

O acordo de livre-comércio entre UE e Mercosul, adotado em 28 de junho, mas ainda não ratificado, prevê aumentar as trocas comerciais entre ambos os signatários mediante a supressão de tarifas alfandegárias a diferentes produtos.